Uma cozinha industrial, diferentemente do que muitos pensam, não servem apenas para restaurantes. Podem ser utilizadas em diversos tipos de negócios, como sorveterias, supermercados, hospitais, padarias, escolas, empresas e em áreas de construção civil, por exemplo, permitindo a produção de alimentos em larga escala.

Trazemos, nesta semana, um artigo sobre as cozinhas industriais, em que mostramos como você pode montar a sua própria cozinha. Destacamos alguns dos principais pontos a serem considerados, como os itens necessários, a distribuição das estações de trabalho e as principais normas de vigilância sanitária.

Por que montar uma cozinha industrial?

As cozinhas industriais são a melhor opção para qualquer pessoa que precisa produzir e servir alimentos para um grande número de pessoas. De modo geral, podemos dizer que seu principal objetivo é trazer uma maior eficiência ao preparo dos pratos quando comparadas às cozinhas tradicionais, a partir da utilização de equipamentos profissionais e de processos produtivos muito bem pensados e definidos.

Como dissemos anteriormente, as cozinhas industriais podem ser utilizadas em diversos tipos de negócios. Nesse sentido, destacamos que todos eles têm um ponto em comum: a busca por uma maior eficiência no dia a dia de trabalho.

Seja para garantir que todos os funcionários sejam servidos no refeitório de uma empresa no menor tempo possível ou para maximizar a produtividade da cozinha de um restaurante, alcançando uma maior lucratividade.

Em todos os casos, a montagem de uma cozinha industrial é indispensável.

Comece pensando na estrutura de sua cozinha

A estrutura física é a parte mais importante de uma cozinha industrial.

O primeiro passo na montagem de sua cozinha industrial é o planejamento. Para isso, conte com especialistas, que irão elaborar um projeto considerando, por exemplo, o espaço disponível e as demandas de sua cozinha.

As normas de vigilância sanitária também devem ser um ponto de atenção. O piso deve ser impermeável, liso e antiderrapante. As paredes, por sua vez, devem ser revestidas com materiais que impeçam a proliferação de fungos e bactérias.

Esses são apenas alguns exemplos. Durante a montagem de sua cozinha industrial, consulte as normas estabelecidas pela Anvisa, para evitar qualquer problema futuro.

Pense na organização das estações de trabalho

A disposição das estações de trabalho no interior da cozinha industrial é algo fundamental para garantir a eficiência e a produtividade no dia a dia de trabalho.

Aqui, a elaboração de um projeto por especialistas ganha destaque novamente. A elaboração do layout de sua cozinha por um especialista não é um gasto, mas sim um investimento – e dos melhores que você poderia fazer.

Para garantir um fluxo de trabalho adequado, a organização dos mais diversos setores deve ser muito bem pensada: o principal objetivo é reduzir a necessidade de deslocamentos no interior da cozinha, o que compromete a produtividade e pode aumentar os riscos de acidentes.

Fazer com que setores que se comunicam entre si permaneçam fisicamente próximos também é fundamental. Em um restaurante, a área de lavagem, por exemplo, deve ficar perto do local onde os pratos já utilizados são colocados e do local de descarte do lixo, para diminuir os deslocamentos e tornar o fluxo de trabalho mais eficiente.

Pense nos equipamentos necessários

Agora, temos que pensar em todos os equipamentos que serão necessários para o seu dia a dia.

Dependendo do tipo de negócio e das demandas de sua cozinha, os equipamentos necessários podem variar bastante. Afinal de contas, uma churrascaria não precisa dos mesmos equipamentos que uma padaria.

Nesse sentido, destacamos que o desafio é maximizar o espaço disponível, de forma a aproveitar o melhor que o local tem a oferecer. A distribuição dos equipamentos não deve ser feita de forma aleatória, mas sim considerando a disposição das estações de trabalho e o melhor local para acomodação de cada equipamento.

É importante garantir que equipamentos de função oposta, como os fogões e as geladeiras industriais, não fiquem muito próximos um do outro. Além de prejudicar o funcionamento de sua cozinha, prejudica a eficiência dos medicamentos, podendo trazer futuros gastos com manutenção, por exemplo.

Para ajudá-los, listamos alguns dos principais equipamentos de uma cozinha industrial:

  • Cocção: fogões industriais, fornos elétricos, fornos a gás, chapas elétricas, chapas a gás, fritadeiras e cafeteiras
  • Refrigeração: geladeiras industriais, freezers industriais, refresqueiras, suqueiras e cervejeiras
  • Distribuição: balcão refrigerado, balcão térmico, passthroughs, cubas e bandejas
  • Higienização: lavadora de louças, carro para remolho, enceradeira industrial, porta detritos, pia inox e lixeiras
  • Utilitários: assadeiras, balanças, estufa, garrafas térmicas, marmiteiros e rechauds

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *